quarta-feira, 14 de agosto de 2013

Ser capaz de alargar o coração

Gostava muito de falar às crianças da catequese sobre São Maximiliano Maria Kolbe. Para mim, ele é exemplo não só de amor corajoso, como também de devoção à Virgem Santíssima, de valorização da família, de entrega confiante nas mãos de Deus e de saber ser alegre mesmo nas maiores dificuldades. Como declarou o bem aventurado João Paulo II, é o patrono de nossos tempos difíceis.
Um dia, enquanto contava a história do jovem Maximiliano, um dos pequenos me perguntou o porquê do nome peculiar desse santo. Um coleguinha respondeu imediatamente, com criatividade: "Eu sei, tia! É porque Maria coube no coração dele!"
De fato, quem é capaz de alargar o coração, de modo a nele haver espaço para Jesus, e consequentemente, para Sua Mãe, é capaz também de um amor generoso e desprendido pelos irmãos, como testemunhou São Maximiliano. No ambiente terrível de um campo de concentração nazista, o sacerdote soube conservar a serena confiança em Deus, ao ponto de oferecer-se para morrer no lugar de um pai de família. Este, salvo pela coragem de São Maximiliano, conseguiu depois voltar para casa, para os que dele necessitavam.
Concedei-nos, Jesus, ter um coração largo como o de São Maximiliano, onde caibam o Senhor, Maria, e cada filho Teu!
Ocorreu um erro neste gadget