terça-feira, 10 de julho de 2012

A Igreja do "Eu Sozinho"

Entre as muitas "igrejas" que surgem a cada curto espaço de tempo no Brasil, nenhuma é mais popular do que a Igreja do Eu Sozinho. Ela está presente em pequenas portinhas e em grandes galpões; está também presente no rádio, na TV e na internet. E caso você ache que não conhece essa igreja, saiba que você muitas vezes já passou por ela sem saber. Acontece que a Igreja do Eu Sozinho fica escondida sob outros nomes.
Essa "igreja" se diz cristã, mas muito pouco guardou da vida e da palavra de Nosso Senhor Jesus Cristo; se diz evangélica, mas só prega partes do Evangelho que lhe são convenientes; frequentemente, chega a se denominar pentecostal, sem revelar (e talvez até sem saber) o que de fato foi e para que aconteceu o Pentecostes.
Mas não é difícil identificá-la sob os muitos disfarces que assume. Basta prestar atenção no seu discurso. Ontem, por exemplo, certo programa de televisão religioso mostrava o testemunho de um casal cujo filho tinha uma doença respiratória. A história emocionante da família assim se resume: quando decidiram "patrocinar" o filho (isto é, dar uma contribuição em dinheiro para certa igreja em nome do rapaz), ele ficou curado, além de ter melhorado a situação financeira da família. Nada contra contribuir financeiramente para a obra de Deus. Sou dizimista, ora! O problema é que, do modo apresentado, a relação com Deus fica parecendo uma interminável "barganha": dá-se dinheiro, e em troca Deus dá cura física e prosperidade material. E por, isso, essa igreja é a Igreja do Eu Sozinho: para ela, não importam muito salvação, conversão e caridade; o fruto que se espera de Deus se limita a esse mundo, e deve beneficiar a ninguém menos que... a mim mesmo, "patrocinador fiel"!
Como movimentos assim podem se chamar cristãos? Contra tais formas erradas de praticar o cristianismo, é Jesus quem nos recorda: "Trabalhai, não pelo alimento que se perde, mas pelo alimento que permanece para a vida eterna" (João 6,27), e que nos questiona: "Onde está o teu irmão?" (Gênesis 4,9). E o que responderemos? 
É bom que as muitas Igrejas do Eu Sozinho se convertam; ou vão responder diante de Deus pela sua teologia material-individualista.
Ocorreu um erro neste gadget