domingo, 18 de julho de 2010

No princípio...

Fico muito aflita quando chega ao meu conhecimento uma situação em que se tenta relativizar a importância ou a existência de Deus (tais situações tem sido cada vez mais frequentes e banalizadas). Essa semana, não apenas estive ciente, mas participei de uma. Aconteceu - por e-mail!!! - uma votação para decidir se na cerimônia de formatura de minha turma haveria ou não um "discurso ao sagrado". Se o fato de haver uma votação, negando absolutamente que o agradecimento a Deus seria um direito dos formandos que nele cressem, já parecia absurdo... mais triste ainda foi o resultado da enquete.
Amanhã eu celebrarei 4 anos de caminhada na universidade. Anos difíceis por estar longe dos meus pais, passar noites em claro pra estudar, trabalhar duro pra ajudar a custear minhas despesas; e também anos felizes por fazer bons amigos, aprender muito, realizar a grande conquista de hoje ser uma professora de história. Anos em que meu conforto, meu descanso, minhas forças, minha alegria, vieram sobretudo da união com Deus. Momentos em que, sem a Eucaristia, o Rosário e a Palavra de Deus, eu não seria ninguém.
Ainda assim, amanhã, eu não terei a possibilidade de fazer ou ao menos escutar nem um pequeno agradecimento público Àquele que existe desde o princípio, e por Quem tudo foi feito. A gratidão vai ficar na intimidade do meu coração e na Santa Missa pela manhã. E a minha inteligência tenta compreender esta situação transcrevendo as palavras de São João:
"No princípio era o Verbo, e o Verbo estava junto de Deus e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio junto de Deus. Tudo foi feito por ele, e sem ele nada foi feito. Nele havia a vida, e a vida era a luz dos homens. A luz resplandece nas trevas, e as trevas não a compreenderam. O Verbo era a verdadeira luz que, vindo ao mundo, ilumina todo homem. Estava no mundo e o mundo foi feito por ele, e o mundo não o reconheceu. Veio para o que era seu, mas os seus não o receberam. Mas a todos aqueles que o receberam, aos que creem no seu nome, deu-lhes o poder de se tornarem filhos de Deus, os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas sim de Deus." (Jo 1,1-5.9-13)

Ao Senhor da minha História: gratidão por tudo!

domingo, 4 de julho de 2010

Frases...

"Cristo é o amigo fiel, o vencedor do pecado e da morte. Quem confia n'Ele jamais será defraudado, mas encontrará a força necessária para escolher o caminho justo na vida." (Bento XVI)
Ocorreu um erro neste gadget