quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Eu escolho tudo!


"A santidade não consiste nesta ou naquela prática; a santidade consiste numa disponibilidade do coração que nos torna humildes e pequenos nos braços de Deus, conscientes de nossa fraqueza e confiantes até a audácia em sua bondade de Pai".
Santa Teresinha encontrou o caminho adequado às pequenas almas que compreendem não serem capazes de subir a "rude escada da perfeição": a infância espiritual. A coragem audaciosa de lançar-se nos braços do Senhor com confiança filial, de escolher e abraçar tudo o que Ele desejar. O humilhar-se totalmente e deixar-se inflamar pelo amor de Jesus.
"Como sou feliz de me ver imperfeita, e ter tanta necessidade de Deus!"
A florzinha do Carmelo aprendeu que era apenas um "passarinho nas mãos do Senhor", mas que tinha "olhos e coração de águia", capazes de vislumbrar o céu e alçar alto vôo. Quem tem um coração de criança, sabe que nada possui, mas que por isso mesmo receberá tudo do Bom Deus. E quem tudo recebe, também inteiro se doa. "Não quero ser santa pela metade: eu escolho tudo!"

terça-feira, 15 de setembro de 2009

E Deus estava na brisa...


O profeta Elias esperava para ver o Senhor passar. Houve um "vento impetuoso e violento, que fendia as montanhas e quebrava os rochedos; mas o Senhor não estava naquele vento. Depois do vento, a terra tremeu; mas o Senhor não estava no tremor de terra. Passado o tremor de terra, acendeu-se um fogo; mas o Senhor não estava no fogo. Depois do fogo ouviu-se o murmúrio de uma brisa ligeira." (IRs 19, 11s) Assim como Elias, precisamos aprender que Deus nem sempre está nas manifestações assombrosas: Ele pode estar no silêncio. Mais do que isso, não é preciso "sentir Deus" para crer que Ele ali está. Ora, quantos abandonam a fé porque esperam um Deus que esteja apenas nas fortes emoções... Pois foram justamente os grandes santos que passaram por momentos de aridez e noite, em que não podiam sentir a presença do Senhor. O que os sustentava era a fé, uma fé madura e não-palpável, que vai além de emoções momentâneas, de grandes enlevos espirituais. Que aprendamos a também encontrar Deus na brisa e no silêncio do coração.
Ocorreu um erro neste gadget