sexta-feira, 22 de maio de 2009

A liberdade está em Deus

Vivemos hoje uma realidade em que qualquer tipo de compromisso é tido como prisão, particularmente o compromisso com Deus. A fim de declarar a sua liberdade e autossuficiência, o ser humano se volta contra as doutrinas religiosas. Ele não percebe que, quando faz isso, se deixa na verdade aprisionar pelo dinheiro, pelo cientificismo e por seu próprio orgulho. Não que haja mal na ciência ou nas coisas materiais; o mal está em torná-las nossa razão de viver. " Na verdade, como poderia ser considerado um uso autêntico da liberdade, a recusa de se abrir àquilo que permite a realização de si mesmo?" (João Paulo II. Carta enc. Fides et Ratio, 13)
Ao contrário, quando permitimos que seja Deus a nossa causa final, descobrimos que fazer a sua vontade não nos limita, mas é o que de fato nos pode conduzir à vida e a liberdade plena. "Conhecereis a verdade e a verdade vos livrará." (Jo 8, 32)

A verdade de Deus nos liberta na medida em que nos mostra que não dependemos de nada além dele para sermos felizes. E assim aprendemos a usufruir dos bens dessa vida, reconhecendo que são efêmeros e não podem nos aprisionar. Isso é liberdade.

terça-feira, 5 de maio de 2009

Ele é o Sol. Eu, só o reflexo.


Muitos mestres deixaram ensinamentos, escritos, testemunhos. Mas o verdadeiro Mestre deixou a si mesmo, doou-se completamente no mistério da Eucaristia. Jesus, o próprio Deus, sendo infinito fez-se tão pequeno, fez-se hóstia, oblação. E é tão grande e sublime esse dom que não se pode descrevê-lo sem ficar aquém do que ele realmente é.


"A Igreja recebeu a Eucaristia de Cristo seu Senhor, não como um dom, embora precioso, entre muitos outros, mas como o dom por excelência, porque dom d’Ele mesmo, da sua Pessoa na humanidade sagrada, e também da sua obra de salvação" (João Paulo II, Carta enc. Ecclesia de Eucharistia, 11).


Jesus Eucarístico é o Sol da Igreja; e nós devemos ser o reflexo. Ser simples como Deus é simples, fazer da nossa vida dom que se consome, como a hóstia é consumida e se torna um com quem comunga. Amar e adorar o Senhor que a nós se dá inteiramente e reparar o coração de Cristo pelas ofensas feitas ao Santíssimo Sacramento, pelos que não creem e até pelos cristãos.
Que o zelo por Jesus na Eucaristia nos ensine a ser reflexo do seu amor.
Ocorreu um erro neste gadget