segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

Sofrimento, paciência e santidade (continuação)

Passo então ao segundo ponto do trecho destacado:
b) se o soubermos fazer corajosamente - O sofrimento só levará à santidade se for vivido corajosamente, isto é: se não procurarmos a todo tempo escapar a ele, mas, pelo contrário, o recebermos confiando que Deus que o permite nos dará forças para suportá-lo. Há uma música que diz "Pra que tanto medo de sofrer? A semente morre pra nascer..." (ver letra completa e vídeo)
É certo que não se ama o sofrimento. Mas, se é preciso passar por ele, façamo-lo com coragem, a coragem dos fracos, que sabem que é em Deus que está sua força.

3 comentários:

  1. Costumo dizer que o primeiro passo para uma cura interior, daqueles que tem um sofrimento espiritual, é enfrentar o problema.
    Quando há fuga, parece-me que o máximo que
    acontece é esquecimento dele, mas não solução.

    ResponderExcluir
  2. Sim, sim. E o problema "encapsulado" pode se tornar pior e ter sérias consequências. Como alguém que, por exemplo, queira ignorar dificuldades que tenha em família e fuja do problema frequentando outros ambientes, até mesmo passando todo seu tempo dedicando-se aos trabalhos na Igreja. A situação em casa se tornará mais difícil com o tempo e uma hora a pessoa terá de se deparar com isso. Uma postura de coragem seria a de cada dia tentar construir um lar de paz, mesmo que seja difícil. O resultado chegará, nem que seja só no Céu.

    ResponderExcluir
  3. A fuga da dor é ordinária, pois a natureza humana repugna este aspecto da limitação do homem. Mas a inteligência humana deve saber que, não raro, encarar corajosamente uma situação difícil e até mesma impossível humanamente, é menos doloroso que ignorar o problema, que aumentará de magnitude e proporção.

    Excelente texto!

    ResponderExcluir

Ocorreu um erro neste gadget