segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Nós nos gloriamos na cruz 2


Há alguns dias, meditávamos no Centro Vocacional sobre o sentido cristão do sofrimento humano. Em meio a tantos anúncios de "Pare de sofrer!", nos perguntamos: por que fugir do sofrimento, se ele faz parte da existência humana no mundo, e se o próprio Cristo o recebeu com amor? Muitos querem subir com Jesus ao Tabor, mas poucos o querem acompanhar ao Getsêmani...

Diz um canto da sexta-feira da Paixão: O Cristo obedeceu até a morte. Humilhou-se e obedeceu o bom Jesus. Humilhou-se e obedeceu, sereno e forte. Humilhou-se e obedeceu até a cruz. Por sua vez, diz Santa Teresinha: "A minha pobre vida é sofrer e pronto!" Como ela mesmo explica, não se trata de buscar o sofrimento, mas de recebê-lo com a mesma gratidão com que recebemos de Deus as alegrias e as consolações. Trata-se de conhecer o aprendizado e o crescimento que se pode extrair da cruz, e completar em nossa carne aquilo que faltou à paixão do Senhor. Oferecer a Deus nossa paciência, nossa dor.

Do coração que sofre devem brotar os frutos amadurecidos de santidade e amor. Pois compreendemos que não há ressurreição sem morte; não há glória sem cruz.

Um comentário:

Ocorreu um erro neste gadget